INTERESSADOS NA CELG D JÁ PODEM SOLICITAR INFORMAÇÕES SOBRE A COMPANHIA

A sala de informações (Data Room) foi aberta para esclarecer potenciais investidores sobre o processo de desestatização da CELG D

No dia 30 de dezembro de 2015 foi aberta a sala de informações (data room) para investidores interessados em obter mais informações sobre o processo de desestatização da CELG Distribuidora (CELG D). A abertura foi publicada no Diário Oficial da União mediante Aviso do Ministério de Minas e Energia (MME) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) seguido do Manual de Procedimento de Diligências dos Interessados. Os interessados em acessar o Data Room poderão obter o referido Manual e seus formulários anexos também pelo site da CELG D.

O acesso à sala de informações – física e virtual –, as visitas técnicas e as reuniões com gestores e diretores da CELG D, bem como com os consultores que elaboraram os estudos da desestatização, serão permitidos apenas aos interessados previamente credenciados, mediante preenchimento de formulário de solicitação de acesso, pagamento de uma taxa e realização de um depósito caução. Um auditor externo atestará a lisura e transparência dos procedimentos adotados no âmbito do Manual de Diligência.

A abertura do Data Room em momento anterior à publicação do Edital de Desestatização foi aprovada pela Resolução CND nº. 11/2015. Esta antecipação proporciona maior transparência ao processo e possibilita que os interessados tenham tempo adequado para a avaliação da CELG D e subsequente tomada de decisão de participação no leilão.

Aviso: A Eletrobras, através da sua 164ª AGE, aprovou a alienação do controle acionário da CELG Distribuição S.A.- CELG D, conforme preço mínimo e condições estabelecidos na Resolução CND 11/2015  e condicionada à anuência da ANEEL para a repactuação da dívida da CELG D, conforme disposto no artigo 11 da Lei 13.182/2015, de 3 de novembro de 2015. Alterações nas condições aprovadas pela 164ª Age da Eletrobras podem requerer nova apreciação pelos acionistas da Eletrobras. A modelagem da operação de desestatização aprovada pelos acionistas da Eletrobras foi submetida ao TCU. As condições definidas na modelagem podem sofrer alterações decorrentes deste processo de aprovação, e as condições atuais não são vinculantes. Caso, por qualquer motivo, a operação de alienação seja cancelada, revisada ou alterada, Eletrobras ou BNDES não se responsabilizam por qualquer ressarcimento de custos, devolução de taxa ou pagamento de perdas e danos.