BNDES assume atribuições de natureza técnica na desestatização da CELG D

Em portaria publicada nesta segunda-feira, o Ministério de Minas e Energia delegou ao BNDES atribuições de natureza técnica relacionadas à desestatização da CELG D. Esta medida é o reconhecimento da experiência do BNDES na condução de processos similares, acumulada ao longo de mais de vinte anos da existência do Programa Nacional de Desestatização. Com esta decisão o banco assume tarefas como a publicação do edital e presidência da comissão de licitação.

Esta medida não altera as diretrizes gerais do processo, como a definição do cronograma.

Anúncios

Começam as apresentações públicas sobre a desestatização da CELG D

Audiência Pública realizada em Goiânia e reunião com investidores em São Paulo marcam início de agenda de apresentações

O processo de desestatização da CELG Distribuição (CELG D) está avançando, com o início das reuniões públicas para sua apresentação. Na quarta-feira, foi realizada em Goiânia uma audiência pública com a sociedade civil para receber contribuições para o processo. Na quinta-feira, potenciais interessados em adquirir a empresa foram recebidos na sede da Internacional Finance Corporation (IFC) para apresentação do processo de desestatização.

Na audiência pública, representantes do MME, BNDES, IFC, Eletrobras, CELGPar, CELG D e governo de Goiás se reuniram durante três horas no auditório da Acieg (Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás) para ouvir mensagens de apoio ao processo, opiniões, dúvidas e preocupações de trabalhadores, clientes, lideranças sindicais e políticas. Todas as contribuições serão consolidadas em um relatório que estará disponível no site do BNDES e poderão ser consideradas para o processo.

A reunião com potenciais interessados ocorrida nesta quinta-feira dá o início a uma etapa importante do processo. Outras reuniões serão realizadas para apresentar o processo de desestatização. As empresas interessadas podem solicitar essas reuniões por meio do e-mail roadshowcelg@ifc.org. Além disso, desde 30 de dezembro, com a publicação do Manual de Diligências, os interessados cadastrados para acesso ao Data Room podem solicitar o agendamento de reuniões para esclarecimentos sobre os estudos e sobre a empresa.

Audiência pública traz contribuições da sociedade para a desestatização

Nesta quarta-feira de manhã a sociedade de Goiás pode dar a sua contribuição para o processo de desestatização da CELG D. Reunidos durante três horas no auditório da Acieg (Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás), representantes do MME, BNDES, IFC, Eletrobras, CELGPar, CELG D e governo de Goiás ouviram mensagens de apoio ao processo, opiniões, dúvidas e preocupações de trabalhadores, clientes, lideranças sindicais e políticas.

Esta audiência é uma etapa importante para o processo de desestatização. Todas as contribuições serão consolidadas em um relatório que estará disponível no site do BNDES e poderão ser consideradas para o processo.